Blog
Mar 12

Voluntariado à distância: Como manter o espírito de solidariedade em tempos de pandemia

A pandemia veio agravar a situação de muitas famílias, além de vir enaltecer as desigualdades económicas. Devido às várias restrições de deslocações e confinamento obrigatório, a realização de ações de voluntariado presencial ficaram condicionadas, sendo que muitas tiveram inclusive de ser suspensas ou adiadas. As novas normas de convivência fizeram com que novos formatos de voluntariado emergissem, com o objetivo de não comprometer as medidas estabelecidas pelo Governo no sentido de melhor controlar o galopante novo coronavírus.

De facto, várias foram as organizações que, numa tentativa de continuarem a prestar o seu apoio, adaptaram as suas ações de voluntariado presencial para o regime online. Estes projetos permitiram dar continuidade ao trabalho de apoio social que tem vindo a ser dado, sem pôr em causa a segurança das pessoas.

Os projetos de voluntariado à distância têm vindo a crescer e a estabelecer-se nos últimos tempos. Se queres manter o teu espírito de solidariedade em tempos de pandemia, apresentamos-te alguns exemplos de como o poderás fazer.

Apoio de línguas online

Com o Speak, uma startup portuguesa, além de participares no combate ao isolamento social, poderás tomar parte da aprendizagem de uma nova língua. A metodologia é simples e as ações têm lugar em videoconferências organizadas entre pequenos grupos intensivos.

Explicações online

A EDP promove uma ação de voluntariado dentro da Península Ibérica que objetiva ajudar alunos assinalados pelo Ministério da Educação em Portugal e Astúrias nas suas tarefas escolares. Acede ao website da EDP para descobrir mais sobre este e outros projetos de voluntariado em tempos de Covid-19.

Assistência visual por videochamada

A aplicação Be My Eyes estabelece uma conexão entre pessoas cegas ou com fraca visão e voluntários que lhes prestarão auxílio visual em direto por videochamada.

Combate ao isolamento social

A EDP promove vários projetos de voluntariado à distância e a ação “Cartas Solidárias” é um deles. Os voluntários ficam responsáveis pelo envio de cartas ou emails a quem se sentir mais sozinho, promovendo o combate ao isolamento social.

Além disso, existe também a Serve The City, que promove o acompanhamento a várias pessoas – pessoas de risco ou seniores -, através da nutrição de uma amizade em linha. Neste caso, os voluntários estabelecem contacto com as pessoas identificadas através de chamadas telefónicas, uma vez mais procurando contrariar o isolamento social.