Blog
Abr 28

Burnout no ensino universitário: o que é e como combater

Até há relativamente pouco tempo, o conceito de burnout não era muito utilizado no nosso país. Contudo, a presença do conceito tem vindo a aumentar progressivamente e com ele cresce também o número de estudantes universitários em burnout.

Afinal, de que se trata o burnout?

O burnout é caraterizado como um conjunto de vários sintomas que se verificam após um longo período de tempo sob exposição a excessivo e acentuado stress associado ao trabalho ou estudos, que levam a exaustão física e mental. Neste caso, o burnout no ensino universitário traduz-se num esgotamento físico e psicológico por parte dos estudantes, resultante de uma vida académica desgastante e sobrecarregada que, muitas vezes, limita e incapacita os estudantes de desempenhar tarefas básicas diárias. Estando cientes de que este é um problema que tem vindo a crescer, deixamos algumas dicas para o combater.

Dicas para combater o burnout no ensino universitário

É fundamental ter consciência da necessidade de fomentar competências emocionais, desde o mindfulness à autocompaixão, ou seja, adotar abordagens que permitam aprender a autorregular pensamentos e emoções. A capacidade de ter autocompaixão é de extrema importância, já que permitirá diminuir a autocrítica, o perfecionismo, o medo de falhar e, ao mesmo tempo, fará com que a competição que se vive hoje em dia no mundo universitário se torne numa competição saudável.

Além disso, é importante estabelecer pequenos objetivos, quer para a vida pessoal, quer para a académica, procurando um equilíbrio entre os estudos, a família, a vida social e outras atividades. Nesse sentido, é imprescindível ter momentos de lazer, seja com família ou amigos, que permitam não só ter contacto social, mas também conversar sobre os desafios emocionais da vida universitária.

A atividade física, já que traz benefícios a nível emocional, e um descanso adequado, com o mínimo de horas de sono recomendadas, também devem fazer parte da rotina. Deves ainda estimular a criatividade, fazer uma atividade diferente e não te deixar cair numa rotina monótona e aborrecida. É essencial relembrar a ti mesmo que a ambição, quando é excessiva, não vai trazer nenhum benefício e, por isso, às vezes, é importante reenquadrar perspetivas para perceber que um percurso académico desgastante e sobrecarregado não trará nada de bom ao teu futuro.

Tudo isto são pequenos passos que podem ajudar a combater o burnout no ensino universitário. No entanto, se atingires um nível de exaustão física e psicológica, não hesites em pedir ajuda especializada.