Blog
Jan 08

Ensino Virtual: Quais os desafios dos estudantes?

A Covid-19 impingiu imensas mudanças, uma das mais claras e evidentes, a transposição do ensino para o modo online. É certo que o novo coronavírus acelerou a transformação digital nas universidades e, não obstante as vantagens do ensino virtual, dado o atraso na inclusão de tecnologias que ainda se verifica em Portugal, tanto estudantes como discentes acabam também por enfrentar alguns desafios nesta temática.

  1. Gestão de tempo e conteúdo – O ensino virtual está, claramente, associado à Internet e à sua omnipresença. No online tudo se aglomera, numa constante e fluida troca de informação, que chega de toda a parte e com a qual nos poderemos deparar de múltiplas formas. Por vezes, esta quantidade colossal de informação, que por não ser palpável parece tão irreal, pode revelar-se extremamente difícil de gerir e organizar. Além disso, a estas dificuldades junta-se ainda a facilidade com que o tempo voa, quando nos encontramos em frente a um ecrã.
  2. Falta de equipamentos e conexão – Falhas na conexão à Internet, principalmente nos casos em que a velocidade é o maior dos problemas, desde sempre que são razões para pôr paciência de cada um à prova. No ensino virtual, este tipo de falhas pode pôr em causa a própria retenção do conhecimento, não fosse a chamada de ZOOM cair em pleno esclarecimento de dúvidas sobre o exame final. Somando esta problemática à falta ou obsolescência de gadgets, este ponto, além de desafiante, pode ser ainda caracterizado por elevados níveis de frustração.
  3. Infoexclusão – A literacia computacional de cada um não tem de estar ao nível de um engenheiro informático. Contudo, nem todas as plataformas de ensino virtual são de fácil, conveniente e intuitiva navegação, pelo que os estudantes podem enfrentar alguns constrangimentos na sua utilização, prejudicando o seu processo de aprendizagem.
  4. Isolamento – O ensino virtual também arrecada dificuldades ao nível mental. A inexistência de uma experiência física de sala de aula, com trocas de olhares e de papéis, momentos de olhos nos olhos e risos contidos, tem também as suas desvantagens. Principalmente quando o ensino virtual se prolonga há tantos meses, a motivação dos estudantes e o seu processo de assimilação saem verdadeiramente afetados.
  5. Falta de interação e participação – Numa sala de aula, quantas vezes faz um professor uma questão e nem uma alma levanta o braço para responder? Este problema continua a verificar-se no ensino virtual, agravando-se a facilidade de manter os estudantes envolvidos no que está a ser lecionado. As distrações são tantas e sem uma presença física forte a jogar a seu favor, os discentes veem a sua influência diminuída. Além disso, para aulas práticas, como experiências laboratoriais, os constrangimentos adquirem uma nova dimensão.

No entanto, como já foi mencionado, a transformação digital do ensino universitário traz também muitas vantagens, benefícios e oportunidades. Atualmente, estes fatores estão já a ser explorados, num período no qual as aulas são alternadas entre online e offline. E, num futuro sem Covid-19 e a obrigatoriedade do ensino virtual, o seu potencial poderá adquirir proporções extremamente interessantes.

Consulta também: